• cnpqq
  • LinkedIn
  • Preto Ícone YouTube
Analisando os Números

O LABORATÓRIO

O Laboratório de Inovação em Desenvolvimento Regional e Empreendedorismo - LIDERE é resultado dos esforços de cooperação internacional de suas instituições mantenedoras (Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC, Instituto Politécnico de Beja - IPBeja e ORION Parque Tecnológico).

O objetivo geral é realizar pesquisas/investigações científicas e atividades de extensão para expandir o conhecimento e promover o desenvolvimento das regiões de influência (Planalto Catarinense – Brasil e Alentejo – Portugal).

As atividades são baseadas na identificação e explicitação de boas práticas para o progresso das mais diversas iniciativas regionais, selecionando e adaptando criativamente recursos teórico-práticos ao desenvolvimento das regiões de influência.

Criatividade, inovação tecnológica, marketing, branding, sistemas inovadores de produção, entre outros,  são temas de interesse do laboratório.

Lidere sede 1.png
lidere sede 3.png
lidere sede 2.png

Nossa Marca - Nossa Identidade

lidere_001.png

A marca do Laboratório de Inovação em Desenvolvimento Regional e Empreendedorismo é composta pelo acrônimo LIDERE (nome representativo) e pelo nome por extenso (nome descritivo).


O nome descritivo é grafado com a fonte “Biome” que transmite as características de modernidade e objetividade do laboratório.
 

O nome representativo é grafado com a fonte “Tele-marines”, que também expressa os sentidos de “modernidade” e “objetividade”, sendo ainda mais distintiva que a fonte “Biome”.
 

Além de compor o símbolo gráfico da marca, no nome descritivo ou acrônimo, a letra “D” aparece destacada, com desenho, fundo, elemento gráfico e cor diferenciados, para enfatizar a ideia de “Desenvolvimento regional”.  
 

Na aplicação colorida da marca, a letra “D” aparece na cor vermelha, sobre o retângulo ovalado branco, com abertura na parte superior e sublinhada por um traço. Nas aplicações tonais ou em preto e branco, a letra “D” é destacada pelo desenho diferenciado e pelo traço de suporte.
 

A cor vermelha é a mais expressiva entre todas as outras, sendo ainda mais destacada em contraste com as tonalidades (branco, cinzas e preto), na composição da marca gráfica. A sensação de vermelho é tensa, relacionada ao calor, à força e propondo euforia, paixão, energia, iniciativa e ação.

 

O traço sublinhando a letra “D” sugere graficamente a ideia de “base” ou “suporte”, afirmando que os estudos e as ações do laboratório LIDERE oferecem suporte ao desenvolvimento das regiões de influência.      
 

A abertura na parte superior da letra “D” simboliza que as regiões são sistemas abertos, inclusive aos conhecimentos e às ações que promovam o desenvolvimento positivo e responsável.

O LIDERE e a missão do IFSC

lages_horizontal_marca2015_PNG.png

O  Prof. Eliezer Pacheco foi o titular da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) do Ministério da Educação no período de 2005 a 2012, período de criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no Brasil que se concretizou com a lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008.

No livro "Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica" publicado em 2011, o Prof. Eliezer Pacheco afirma:

   "Atuar em favor do desenvolvimento local e regional na perspectiva da construção da cidadania constitui uma das finalidades dos Institutos Federais. Para tanto, é necessário um diálogo vivo e próximo dessas instituições com a realidade local e regional, buscando a compreensão de seus aspectos essenciais, ou seja, do que existe de universal nessa realidade.

[...]

   O desenvolvimento local, regional ou nacional não pode prescindir do domínio, da produção e da democratização do conhecimento. Assim, esses institutos revelam-se espaços privilegiados de aprendizagem, inovação e transferência de tecnologias [...]

     Em sua intervenção, os Institutos Federais devem explorar as potencialidades de desenvolvimento, a vocação produtiva de seu lócus; a geração e transferência de tecnologias e conhecimentos e a inserção, nesse espaço, da mão de obra qualificada. Para tanto, o monitoramento permanente do perfil socioeconômico-político-cultural de sua região de abrangência tem grande importância".

E é, exatamente, isso que o LIDERE se propõe a realizar através da cooperação do IFSC com o IPBeja e o Orion Parque Tecnológico.